quarta-feira, 19 de março de 2008

A propósito do "NAKUDJULA HI DOGGYSTYLE"


Anda de uns dias para cá um debate aqui e ali sobre a mais recente música de Ziqo "NAKUDJULA HI DOGGYSTYLE". Associado à música, debate-se também um vídeo "home made" no qual Ziqo aparece em pleno acto sexual.
Vou começar pelo vídeo.
Fiquei a saber que as imagens do vídeo foram captadas por um celular sem o conhecimento/consentimento do Ziqo. Analisando mesmo de forma descuidada as imagens "os closes" se descobre ser difícil e até mesmo impossível que Ziqo não tivesse tomado conhecimento que alguém estava registar a imagem. A vida sexual de Ziqo é privada(?) como alguém disse e nos interessa pouco ou nada, mas tratando-se de uma figura com a sua dimensão seus actos são lidos numa outra perspectiva. A ser verdade que não foi com o seu conhecimento/consentimento esperar-se-ia uma reacção por parte dele. Tenho certeza que não lhe seria difícil descobrir quem captou a imagem e a divulgou na net e assim responsabilizar os autores dessa ofensa se assim achar. A não se pronunciar poderia isso significar que mesmo não tendo consentido que o seu acto sexual fosse registado e divulgado na net, Ziqo não se sente ofendido, pelo contrário agradece pela publicidade uma vez que suas músicas são dominadas por conteúdo sexual que se encaixa no conteúdo do vidéo. Deve ser por isso que está se tornando difícil discutir a música sem incluir o tal "home made" porno vídeo.
Quanto à música, me lembro dos diversos debates sobre a música Moçambicana. Fala-se e escreveu-se bastante sobre isso. O velho vs o novo, mensagem vs animação e por ai em diante. Fica claro que enquanto não existir um "common ground" um instrumento regulador, ficaremos nessa de "se você não gosta deixa para quem gosta, se você não pode, deixa para quem pode". Como determinamos oque deve ou não ser cantado? Não bastam os nossos moralismos abstractos. Precisa-se sim algo concreto, para medir a "censurabilidade" dessa ou aquela obra artística. Ziqo canta sexo e isso é mau. Numa altura em que esforços estão sendo envidados no combate ao HIV/SIDA cuja forma principal de transmissão é o acto sexual irresponsável tal como o Ziqo parece promover nas suas músicas. Mas existem igualmente outras músicas que exaltam outros males sociais e há que encontrar plataformas "universais" para avaliar a nocividade dessas músicas. Enquanto não tivermos esses meios é bom que cada um se guie pela própria consciência. Mude de canal, desligue o rádio em fim medidas individuais. Tenho dito que Ziqo pode não ser culpado pelo conteúdo do que canta. Ele pode muito bem ser vítima da sociedade que o produziu. A sociedade pode não ser culpada por gostar oque Ziqo canta. Pode ser igualmente vítima. Oque eu nego e nego muito é que se relacione a qualidade de musica com o facto do povo gostar. Falei numa linguagem "grossa" que "uma merda não deixa de ser merda só porque todo mundo gosta"
O "estilo cão" está ai nas nossas rádios tvs, discotecas e "está a bater". Na discussão que tive ontem no Mozamigos, um DJ me disse que é "crucificável" o DJ que não tem essa música na sua colecção. "Não posso impedir que os passarinhos sobrevoem minha cabeça mas posso impedir que façam ninho nela".
Não posso impedir que Ziqo faça como cão que não tem lugar apropriado. Mas posso negar a ser como ele aliás sou ser humano e de canino não tenho nada semelhante. Porque me igualaria logo no acto sexual que sugere intimidade e privacidade? porque agiria como cachorro que não se preocupa com a consequência dos seus actos? Porque agiria como cachorro que não está nem ai para para o sentimento do seu parceiro?

4 comentários:

Anónimo disse...

Antes de explanar a minha (repito, minha) opinião, devo lembrar que de musico o Zico não tem nada, trata-se apenas de um tipo que se limita a juntar palavras em cima de uma melodia. Se querem falar de musicos, aí teriamos que falar sobre Wazimbo, José Mucavele, Pfani Pfumo, o já falecido casal Chongo, Alexandre Mazuze, Salimo Muhamed, Stwart Sukuma, Ali Faque, Elvira Viegas, Mingas e outos tantos, que de facto, fazem MUSICA.

Reparei nos comments anteriores que de certa forma se procura um culpado para a publicação de certos "sons mosicais" com um tipo caracteristico de mensagem (mulheres, dinheiro, boa vida, premiscuidade, etc etc), que é comum a toda essa comunidade de entitulados fazedores de "musica".

Na minha opinião, o primeiro e principal culpado não é quem faz a "musica", ou que edita a musica, mas sim NOS OS CONSUMIDORES. Porque se nos não consumirmos esse genero musical, certamente deixara de passar nas rádios, televisões, dicotecas etc, etc.
Nos os consumidores se não tivermos um alto cú e um bom par de mamas meio desnudas a abanerem na telivisão, nem pra ela olhamos ou simplesmente mudamos de canal.

Agora, é deveras inquestionável, a falta de senso social de alguns "cantores" como o caso da Dama do Bling que expõe o intimo femenino (a gravidez) com a maior leviendade, o Zico que escreve.....doggy Style, e tantos outros que apenas o fazem porque nada mais sabem fazer, tamanha a ignorância!

Não os podemos impedir de pensarem e agirem da forma que o fazem, mas certamente podemos não consumir o fruto da falta de respeito, sensibilidade, arte, saber, cultura desses pseudo-cantores.

...fui, mas volto.....

ximbitane disse...

Recebi o vídeo em questão via mail e a principio até pensei que fosse o clip da música em questão. Qual não foi o meu espanto? Por instantes pensei que fosse uma montagem, mas aparentemente não era. Um facto retive, o músico, apesar de tanta promiscuidade, teve o cuidado de usar a camisinha.

Agora, dizer que não foi de livre vontade, humm, discordo, tanto mais que o tal "camera" aparece num espelho do local em que foi feita a obra cinematográfica. Ademais, parece-me que na arte de pornografia o músico em questão pretende fazer carreira pois em anos anteriores já passaram fotos em situações similares. Quem sabe não quer fazer a carreira de músico em paralelo com a de actor? Inspirar-se-á ele no músico norte-americano Snoop Doggy Dog? Mas aparentemente este só canta tendo como palco de fundo cenários porno.

Um órgão de censura, sério e eficaz, precisa-se pois há músicos sem escrúpulos, que não olham meios para atingir fins. Que os jovens gostam ou deixam de gostar, é natural. Com a censura nem chegariam a ter conhecimento de tamanhas barbaridades, pelo menos os miúdos pois os graúdos com a pirataria por certo teriam acesso ou “o que é proibido não é bom”. Mas se alguém censurasse certos vídeos/músicas, como foi feito recentemente com um outro músico moçambicano, a porca torceria o rabo, os músicos estariam mais atentos e produziriam músicas com valor comercial, sim, já que é o que os alimenta, mas com conteúdo próprio para o consumo de toda a sociedade.

Nelson disse...

Um belo input Ximbi...
Obrigado pelo comment. Ainda não escutei a música... tentei descarregar ontem mais não deu certo. Queria mesmo era ter a letra....

Anónimo disse...

eu ACHIMO AMIRO TAJÚ MERAGI. ACHO QUE OS PAIS DEVEM CONTROLAR A PRIVACIDADE DOS SEUS FILHOS NO QUE DIZ RESPEITO A NET.POIS ELES SE DEIXAM INFUENCIAR PELOS CONTEUDOS EXPLICITOS DA MESMA.