domingo, 8 de março de 2009

O MDM( Moçambique Deve Mudar)



O MDM( Moçambique Deve Mudar) deixou de ser uma possibilidade. Foi no último fim de semana constituido. Pela frente resta trabalho. Quem por alguma razão, não queria que o movimento se tornasse realidade, já nada pode fazer.
A convite dum amigo aqui da Blogosfera, tive a opurtunidade de assistir à sessão do Sábado onde entre outras actividades, tomaram posse o presidente, os 60 membros do conselho Nacional, os 9 da Comissão Política, e os 5 do Conselho de Jurisdição.
A sala estava lotada de gente de todos os “tipos”, vinda de todos cantos de Moçambique. Ismael Mussá, Ivete Fernandes, Maria Moreno, Carlos Reis fazem parte de alguns dos rostos conhecidos que vi entre os presentes.
A sessão abriu com uma oração proferida pelo pastor Ndlovu. Na sua oração o pastor falou das sucessões bíblicas, Moisés-Josué e David-Salomão. Achei interessante.
Das duas ou três vezes que Deviz Simango, presidente do partido se fez ao pódio, e das poucas palavras que dirigiu, as palavras, ESPERANÇA e MUDANÇA, foram repetidas vezes suficientes para que eu as retivesse.
Ainda no sábado devia ter sido eleito o Secretário Geral, mas Deviz disse e bem, que precisaria de algum tempo(dois meses) para estudar os quadros que o MDM tem de modo a eleger um secretário geral de “esperança” e capaz de trazer “mudança”. Essa atitude me faz acreditar que Deviz não é tão precipitado nas coisas, nem se deixa levar completamente pelos outros, como já se disse por ai.
Um dos momentos que me marcou foi quando se lançou o “1 metical para mudar Moçambique” a campanha de angariação de fundos para o movimento. Nos próximos dias será aberta uma conta bancária onde quem estiver interessado poderá depositar seu apoio monetário ao movimento. Alguém na sala decidiu dar um “ponta pé de saida”, inciativa que foi aderida por quase todos. Com canticos e danças, os presentes foram contribuindo e no final já existiam mais de quatro mil meticais, valor que será usado para abertura da conta bancária. Para apresentar-se a população, realizou-se um comício na Munhava.
Tendo estado lá, tendo vivido alguns momentos eufóricos dos presentes, olhando para “natureza” e origem de grande parte dos membros do MDM, fico conversando comigo mesmo:

• Devo acreditar que todos os que se ajuntaram ao MDM estão movidos pela vontade de fazer a diferença? Ou há que o tenha feito por inconfessáveis interesses pessoais?

• Devo acreditar que todos eles se identificam com os objectivos do MDM? Ou há quem nem se interessou em saber porque o MDM surgiu?

• Devo acreditar que estão todos dispostos a pagar o preço que for exigido? Ou na hora de “fazer o serviço” vão pular fora?

• Devo acreditar como Dhlakama que o MDM não mudará nada no Xadrex político de Moçambique. Ou mudanças de grande vulto estão a caminho?

• Devo acreditar que o MDM será a alternativa que me vai garantir alternância? Ou a semelhança dos PDDs em companhia vai “morrer” dentro de dias?

• Devo acreditar que o MDM “assusta” a Frelimo/Renamo? Ou estão bem tranquilos?

• Devo acreditar que exista quem esteja interessado na “morte prematura” do MDM? Ou que todos são a favor?

Enfim, vamos deixar os dias correr, vamos deixar o bebe dar os primeiros passos. Vamos?
Queria muito que o MDM criasse um sítio na internet. Um sítio não daqueles que ficam séculos sem actualização, mas um sítio activo no verdadeiro sentido da palavra, onde não só nos dessem a conhecer o dia dia do partido mas também podessemos de alguma forma, interagir com os diregentes do partido nos diferentes níveis. Um sítio onde houvesse debate franco, crítica honesta. Haveria de existir alguém sério e totalmente comprometido que se encarregasse de “manter vivo” esse sítio. É de coisas como essa que penso que falo de “pagar preço”.

10 comentários:

JOSÉ disse...

Fiquei emocionado com o relato !
A suas questões fazem sentido e são pertinentes!

Moçambique para todos!

Reflectindo disse...

Parabens pela grande oportunidade que tiveste de assistir o parto de um partido especial em Mocambique. Só tu nos transmitirás esse calor do Chiveve. Já rediccionei os leitores do Reflectindo para o Meu Mundo.

Anónimo disse...

Nelson,
Nem sempre o rosto do amigo deve ser aguçado com ferro. Neste caso, as suas observações merecem um cumprimento,não crítica. Se o MDM despertou esse sentimento tão positivo, incluindo essa segunda leitura da sigla MDM (formalmente significando Movimento Democrático de Moçambique), como Moçambique Deve Mudar, é bom sinal.
Despertar sentimento da necessidade de mudança talvez não seja difícil para o MDM. O que vai ser mais difícil, mas oxalá que O MDM percebe isso como sua missão e aposta, é saber conduzir a mudança para uma direcção construtiva e progressiva; uma direcção que os partidos dominantes, por diversas razões, não conseguiram ainda dar a Moçambique.
Gostei da descrição, sobretudo, essa do MDM(Moçambique Deve Mudar). Bem apanhada!
Um abraço
A

Voz da Revolucao disse...

Nós os Beirenses temos que começar a ficar mais atentos a aspectos políticos. Porque é que o Sr Daviz Simango concorreu para um mandato de 5 anos no Município e em menos de 6 meses já sonha com a ponta vermelha ?
Então que formasse o dito MDM e deixasse de "distrair" os Beirenses. Eu acho que o MDM É UM FIASCO, ninguem acredita nele, mas ninguem quer aceitar isso. vão começar a abrir os olhos brevemente, em menos de um ano.

Alguns "pseudo-seniores" da Renamo foram lá, dá para rir. foram fazer o que ? na qualidade de quém ? Ou foram a busca de BREAD ? É quase certo que pela Renamo esses não voltam ao parlamento. Quem esteve lá dos órgãos centrais da Renamo ou da FRELIMO ? NINGUEM.

O que nos preocupa é ver académicos a cairem nessas armadilhas momentâneas.

Voz da Revolucao disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Bayano Valy disse...

obrigadão pelo relato. as duas palavras que destacaste me fazem lembrar a campanha de um certo senhor afro-americano - hope (esperança) e change (mudança). o que pretende mudar o mdm? mudar para quê? alguma coisa precisa de mudar? que projecto político é que traz? concordo com as questões que levantas no fim.

Nelson disse...

JOSÉ
Foi um previlégio para mim estar lá e poder viver aqueles momentos. Qualquer conclusão que eu tiver do MDM se baseará no que vi. Há várias reacções em torno do nascimento do MDM. Vale a pena continuar a questionar.

REFLECTINDO!
Te sou grato pelo convite. Como deves estar a perceber, o nascimento do MDM está a produzir várias reacções.

ANONIMO
Obrigado pelo cumprimento
Quanto à mudança que Moçambique precisa, temos que nos questionar seriamente em what Moçambique tem que mudar. Que tipo de mudança. Só assim penso eu poderemos de alguma forma contribuir para a tal mudança.

VOZ DA REVOLUÇÃO
Não sei se a Frelimo e a Renamo foram conviados à Assembleia Constitutiva do MDM. Se foram convidados, não sei se estiveram de alguma forma representados. Se não foram convidados não conheço as razões. Se foram convidados e não estiveram presentes devem ter seus “bons” motivos. Tenho para mim que o nascimento de um novo partido nos moldes do MDM não seja uma notícia para a Frelimo e a Renamo “soltarem fogos de artifício”. Num contexto político como o nosso onde os adversários políticos são tido como inimigos a experiência me manda acreditar que a Renamo por exemplo nunca estaria presente. Em relação aos "pseudo-seniores" da Renamo que lá estivera, não vejo o motivo da risada que sugeres. Penso eu que nada os impede. Tal como abaixo do post me questionei, espero que o tenham feito por se identificarem com os objectivos do MDM e não para tal como acreditas ir “a busca de BREAD”.
Quero respeitar a tua liberdade de achares que “MDM É UM FIASCO”, agora afirmares que “ninguém acredita nele” acho um exagero a não ser que consigas me provar com A+B como “ninguém” acredita no MDM.
“Porque é que o Sr Daviz Simango concorreu para um mandato de 5 anos no Município e em menos de 6 meses já sonha com a ponta vermelha”
Uma pergunta interessante. Não tenho a resposta ainda mas uma sugestão. O caro voz da Revolução poderia apontar algum problema nessa atitude de Deviz.
Enfim sigo rigorosamente seu conselho.
“Nós os Beirenses temos que começar a ficar mais atentos a aspectos políticos”. Um deles que não nos deve passar despercebido é essa movimentação de quadros seniores da Frelimo para dirigirem o secretariado provincial de Sofala. Não vamos aqui caro Voz da Revolução nos distrair com o MDM e deixarmos o resto dos “aspectos políticos.

BAYANO VALY !
Hope & Change foram um dos principais “temperos” da campanha de Obama. Mudança os Americanos queriam. Todos eles queriam. Esperança eles tinham.
O que pretende mudar o mdm? mudar para quê? Alguma coisa precisa de mudar? Oque precisa mudar? Que projecto político é que o MDM traz? São essas e muitas outras questões que vale a pena levantar

Anónimo disse...

Concordo, falta um sítio do MDM na Internet. O que o partido precisa agora é uma estratégia de comunicarão e interacção, quase uma rede virtual para discussões, contactos, campanhas e acções. Uma coisa como MyDeviz Simango.com ou MyMDM.com para arrecadação de fundos, a organização de eventos, etc. Usar Facebook e YouTube para divulgar informações e vídeos é um “must” absoluto. Muito importante é também o uso de tecnologia telemóvel para conseguir votos e contactar as pessoas que se envolvam na campanha eleitoral do MDM, respectivas mensagens e notícias. Mas o MDM deve garantir que nenhuma informação sairá do telefone, para que a privacidade dos amigos e do usuário seja protegida. Sem duvidas a comunidade moçambicana em tudo mundo vai investir na comunicarão do MDM se o partido oferece um máximo de segurança na hora do pagamento. Por isso o MDM deve possibilitar a respectiva transferência electrónica de fundos incluindo o uso das cartas de crédito.

Um abraço do exterior

Nelson disse...

Achei muito interessante como Obama fez uso da Internet na sua campanha. Eu recebia semanalmente uma “newsletter” com um pouco de tudo que ia acontecendo. Videos com os discursos de Obama. Itinerário da campanha e etc. Divulgação é extremamente importante enessa de divulgação todas as armas são necessárias. Só espero que haja dentro do MDM alguém que queira assumir esse desafio.

Anónimo disse...

Finalmente parece que estamos perante a verdadeira força da mudança!A sorte protege os audazes!
Lutemos pela democracia em Mocambique.